TRF4 realiza ação em adesão ao movimento Outubro Rosa

Magistradas, servidoras, estagiárias e terceirizadas coloriram a tarde cinza de hoje (9/10), em Porto Alegre, com vários tons de rosa no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). A escadaria do prédio sede foi o ponto de encontro para a foto oficial em adesão à campanha “Outubro Rosa no TRF4”. A ação marca o início das atividades da campanha no tribunal durante o mês de outubro, pela conscientização no combate ao câncer de mama. A ação não mobilizou somente as mulheres do TRF4. Os homens também vestiram rosa como forma de alerta e prevenção ao tipo de câncer que tem uma das maiores incidências no país e, especialmente, na Região Sul. Somente no TRF4, 17 mulheres estão em tratamento contra a doença. A iniciativa de conscientização é da Secretária de Saúde, com apoio da Diretoria-Geral do TRF4, que convidou a comunidade do tribunal para vestir uma peça de roupa ou assessório na cor rosa para o registro fotográfico. “A ideia é sensibilizar os nossos colegas para o Outubro Rosa, despertar a solidariedade para causas nobres como essa”, contou Tatiana Names, uma das servidoras da área de saúde responsáveis pela campanha. O TRF4 também está arrecadando lenços, batons e gloss para doação à ONG Camaleão, de Porto Alegre, que promove assistência a pacientes em tratamento de câncer de mama, por meio de ações que colaboram com a recuperação da autoestima. Veja também a cobertura da foto oficial nas nossas redes sociais: Instagram e Facebook. O mês de outubro é considerado mês de combate à doença, com objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, motivar a conscientização, possibilitar maior acesso aos serviços de tratamento e diagnóstico e contribuir para a redução da mortalidade. Segundo dados do Imama, Instituto da Mama do Rio Grande do Sul, cerca de 90% das mulheres que desenvolvem esse tumor não têm ninguém na família com o mesmo problema. Só em 10% é hereditário, mas considera-se alto o risco de câncer de mama quando um ou mais parentes em primeiro grau tiveram a doença, em especial se aparecer antes da menopausa. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que 59.700 casos novos de câncer de mama devem aparecer entre 2018 e 2019, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer também é o primeiro mais frequente nas mulheres das Regiões Sul (73,07/100 mil), Sudeste (69,50/100 mil), Centro-Oeste (51,96/100 mil) e Nordeste (40,36/100 mil). Na Região Norte, é o segundo tumor mais incidente (19,21/100 mil).    
09/10/2018 (00:00)
Visitas no site:  25143
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia